Três maneiras pelas quais os executivos podem evitar o burnout dos funcionários e promover o bem-estar

Você está na reunião mensal do seu departamento e depois de 30 minutos se pergunta: "Onde está a energia das pessoas?" Pela sala de reunião, você vê olhares vagos e o silêncio entre as declarações de cada funcionário é ensurdecedor.

ARTIGO | leitura de 6 min
31 de janeiro de 2020

Sua equipe parece cansada, estressada e com pouca força, principalmente porque você conta pelo menos quatro funcionários ausentes por doença. Em resumo: seus funcionários estão esgotados. O burnout de funcionários tornou-se comum, mas é uma enorme ameaça para a sua organização. De acordo com uma Pesquisa da Gallup de 2018, cerca de dois terços dos trabalhadores sofrem de burnout, e é mais provável que esses funcionários se ausentem por doença e/ou procurem novos empregos. E mesmo que esses funcionários venham trabalhar, chegam com menor confiança e engajamento no trabalho. Como líder em sua organização, é vital que você tome medidas para evitar o burnout dos funcionários e promover o bem-estar. Aqui estão três maneiras de fazer isso acontecer.

1. Capacite os funcionários com o controle sobre sua tecnologia

Segundo o psicólogo ocupacional Cary Cooper, os funcionários que sentem que não têm controle ou autonomia em seu local de trabalho provavelmente terão uma doença relacionada ao estresse — e a sobrecarga de novas tecnologias é um fator importante. O funcionário médio usa 9,4 aplicativos diferentes para o trabalho diário. Toda vez que precisam trocar de aplicativo, gastam energia mental valiosa para se adaptarem a um novo contexto. Acrescente a esse estresse o fato de que muitos funcionários não podem decidir quais aplicativos e dispositivos usar para fazer o trabalho, e você terá aberto o caminho para o burnout.

Para resolver isso, capacite os funcionários a escolher a tecnologia que preferem para realizar o trabalho. Por exemplo, definir políticas seguras mas flexíveis de BYOD para o seu escritório permite que os funcionários controlem quais dispositivos usar para o trabalho. Também é útil aproveitar a tecnologia que se integra aos aplicativos de consumo que seus funcionários conhecem e gostam de usar. Por fim, considere uma tecnologia de espaço de trabalho que reúna todos os aplicativos essenciais de negócios em uma interface. Isso minimiza a alternância de contexto entre aplicativos para ajudar os funcionários a se concentrar.

2. Implante tecnologia que reduza a distração, automatizando tarefas de rotina

Até você chegar a esta seção, há uma boa chance de que algo o tenha interrompido pelo caminho. Seja um chamado para uma reunião, um relatório de despesas que precisa de sua assinatura ou uma mensagem do Slack em um canal para toda a empresa, você provavelmente não chegou a este parágrafo sem que algo tenha competido pela sua atenção. Essas distrações acontecem todos os dias, mas têm um preço mental: os funcionários que sofrem interrupções frequentes relatam uma taxa de exaustão 9% maior e cometem significativamente mais erros do que funcionários que não são interrompidos. Estes são os sintomas clássicos de burnout.

Embora seja impossível eliminar todas as interrupções do local de trabalho, lembre-se de que nem todas as interrupções são igualmente importantes. Ao implantar a tecnologia certa, você pode filtrar interrupções não essenciais, usando configurações que eliminam as notificações do Slack, e-mails ou atualizações de calendário durante determinados horários de trabalho. Novos desenvolvimentos em aprendizado de máquina e IA também possibilitam automatizar tarefas de baixo valor, como confirmações de presença para convites de calendário ou aprovação de relatórios de despesas. Essas tecnologias ajudam a evitar as distrações que levam ao burnout e prejudicam o engajamento de seus funcionários.

3. Programe um tempo semanal sem tarefas para todos os funcionários

Mesmo quando você toma medidas para dar aos funcionários mais controle e protegê-los das distrações no trabalho, uma cultura de trabalho "sempre ativa" ainda pode causar burnout generalizado. Os locais de trabalho "sempre ativos" esperam que os funcionários programem com rigor todo o seu horário de trabalho, que respondam prontamente em qualquer hora do dia e garantam que sua carga de trabalho esteja sempre próxima da capacidade máxima. De acordo com a Quartz, 67% dos funcionários acreditam que estar "sempre ativo" tem um impacto negativo significativo em sua saúde e bem-estar, o que explica por que os locais de trabalho "sempre ativos" tendam a ter retenção e engajamento péssimos.

A solução é encontrar o equilíbrio certo entre o tempo de trabalho focado e o horário em branco. Ao agendar horas semanais de espaço em branco nos calendários de seus funcionários, você pode designar um tempo na semana de trabalho para o pensamento criativo, projetos de paixão e exercícios. Também é benéfico facilitar os espaços comuns (como uma sala de jogos ou de ioga) para que seus funcionários passem esse tempo sem nada marcado juntos, se assim o desejarem: isso ajuda a equipe a construir relacionamentos de trabalho mais fortes à medida que se desconectam.

Seus funcionários levam o burnout a sério. E você?

A pesquisa da Quartz revela que 81% dos trabalhadores acreditam que diminuir o burnout deve ser uma prioridade para os empregadores, sugerindo que seus funcionários sabem que o burnout é uma ameaça significativa que exige sua atenção. Você está pronto para agir? Ao dar à sua equipe mais controle sobre a tecnologia no local de trabalho, priorizar as ferramentas que reduzem a distração e reservar um espaço em branco desconectado para sua equipe, você pode promover uma cultura de bem-estar em sua organização que manterá o burnout sob controle.

Dica de atenção plena
Renove-se

Promover o bem-estar e a atenção plena pode diminuir o desgaste dos funcionários em geral. Sons orgânicos, como ondas quebrando, podem oferecer um momento de recuperação em um dia agitado. Pressione play para reiniciar.

Explore mais em The Sound Sanctuary
Parceria com Washington Post

BOLETIM INFORMATIVO

Obtenha a última pesquisa, insights e histórias do Fieldwork da Citrix.