Glossário Citrix

A

Controle de acesso
O controle de acesso é um componente fundamental da segurança de dados, que determina quem pode acessar e usar informações e recursos da empresa.

Gerenciamento de controle de acesso
Na computação, gerenciamento de controle de acesso refere-se ao gerenciamento de acesso a sistemas, recursos ou outras informações para um usuário ou grupo de usuários. Isso geralmente inclui autenticação para comprovar a identidade do usuário ou grupo que está solicitando acesso.

Gateway de API
O gateway de API aplica medidas de segurança em chamadas de API, como lista de permissões/bloqueios de IP, autenticação, roteamento de conteúdo, limitação de taxa (rate limiting) e muito mais para proteger e gerenciar seu tráfego em uma única passagem para melhor desempenho, menor complexidade e menor custo total de propriedade (total cost of ownership, TCO).

Segurança de API
Com a segurança de API, você obtém proteção abrangente para suas APIs para que possa proteger seus valiosos aplicativos e ativos de dados, fornecer informações sobre o desempenho e uso de suas APIs e ter ajuda para tomar decisões mais bem informadas.

Aceleração de aplicativo
A aceleração de aplicativos é o processo de agilizar o desempenho e a entrega de aplicativos com componentes de rede que aproveitam uma variedade de métodos de caching, compactação e criptografia para obter melhor desempenho dos servidores de aplicativos e entrega mais rápida para dispositivos de endpoint.

Compatibilidade de aplicativo
A compatibilidade de aplicativos é a capacidade e o nível de suporte que um determinado aplicativo pode ter em um ambiente de tempo de execução ou sistema operacional específico, como a capacidade de um conjunto específico de navegadores da web (por exemplo, Internet Explorer ou Firefox) rodar no Linux.

Entrega de aplicativo
A entrega de aplicativos é o processo de levar um aplicativo (normalmente um aplicativo da web) aos usuários finais, enquanto o processamento de dados e a computação do aplicativo são executados dentro de um datacenter ou ambiente de nuvem.

Controlador de entrega de aplicativo
Um controlador de fornecimento de aplicativo (ADC) é um dispositivo de rede que reside no datacenter, localizado estrategicamente entre o firewall e um ou mais servidores de aplicativo. O ADC lida com o balanceamento de carga entre os servidores e otimiza o desempenho do usuário final e a segurança para aplicativos corporativos.

Firewall de aplicativo
Um firewall de aplicativo é um dispositivo de segurança de rede que controla a entrada, saída e/ou acesso entre um aplicativo e um serviço para proteger os aplicativos contra ataques.

Gerenciamento de aplicativos
O gerenciamento de aplicativos é o processo de gerenciamento do ciclo de vida de um aplicativo, desde o desenvolvimento até a implantação.

Migração de aplicativo
A migração de aplicativos refere-se às atividades e processos envolvidos na passagem de um aplicativo para outro, de uma versão de aplicativo para outra ou de um aplicativo em um sistema operacional para outro.

Segurança de aplicativo
A segurança de aplicativo refere-se a medidas e contramedidas tomadas para proteger os aplicativos de ameaças internas e externas.

Virtualização de aplicativos
A virtualização de aplicativos (ou virtualização de apps) pode ser definida como uma tecnologia que permite aos usuários acessar e usar um aplicativo em um computador separado daquele em que o aplicativo está instalado.

B

Gerenciamento de bots
Uma solução de gerenciamento de bots detecta os bots ruins e reduz os ataques de bots para proteger seus aplicativos e dispositivos da web contra ataques de segurança avançados.

Mitigação de bots
A mitigação de bots é uma solução de segurança que ajuda a mitigar o efeito de bots mal intencionados nos ativos de uma empresa, identificando os clientes de entrada que são bots e, em seguida, bloqueando-os.

Rede de filial
Rede de filiais refere-se à capacidade de conectar um escritório corporativo central a filiais por meio de uma infraestrutura de TI que acelera, controla e otimiza todos os serviços, incluindo desktops, aplicativos, multimídia e muito mais.

Traga seu próprio dispositivo
Traga seu próprio dispositivo, BYOD, é a tendência cada vez mais presente de funcionários que usam dispositivos pessoais para trabalhar, como laptops, smartphones, tablets ou qualquer item de tecnologia da informação de consumo.

Continuidade dos negócios
A continuidade dos negócios é a capacidade de uma organização de manter funcionalidades essenciais para a missão, durante e depois de um desastre, como panes de serviço, violações de segurança e outras ameaças.

Plano de continuidade dos negócios
Um plano de continuidade dos negócios é o sistema de procedimentos de uma organização para restaurar funções de negócios essenciais em caso de desastre não previsto. 

Desktop pronto para os negócios
O desktop pronto para os negócios é um desktop completo voltado para o usuário final, pronto para uso em uma linha de negócios. Como um espaço de trabalho hospedado virtual, um desktop pronto para negócios é completo, com aplicativos, ferramentas de produtividade, armazenamento e mais. Os desktops prontos para negócios têm valor abrangente, recebem suporte total e são fornecidos por demanda.

C

Caching
Caching é uma área da memória de um computador dedicada à recuperação de conteúdo frequentemente usado ou solicitado. O conteúdo, que inclui páginas HTML, imagens, arquivos e objetos da web, é armazenado no disco rígido local para agilizar o acesso do usuário, o que ajuda a melhorar a eficiência do computador e seu desempenho geral.

Virtualização de cliente
A virtualização de cliente é o método de remover ou separar um sistema operacional do usuário do dispositivo subjacente para aumentar a segurança, a capacidade de gerenciamento e o suporte. A virtualização de cliente permite que várias instâncias do SO sejam executadas em um único dispositivo diretamente no topo do bare metal, sem interferir umas nas outras e sem a necessidade de um sistema operacional totalmente funcional atuando como uma camada de host.

Arquitetura em nuvem
Arquitetura em nuvem refere-se aos componentes necessários para a computação em nuvem. Existem quatro partes essenciais, que criam uma arquitetura de computação em nuvem completa quando combinadas: uma plataforma de front-end, plataformas de back-end, uma entrega baseada em nuvem e uma rede.

Computação em nuvem
Computação em nuvem refere-se ao fornecimento de recursos de computação — itens como aplicativos, servidores, armazenamento, software e rede — pela internet. Em vez de hospedar seus próprios recursos, você pode usá-los como serviços de vários provedores em nuvem. Os provedores de nuvem geralmente oferecem assinaturas e cobram com base no uso: você pode expandir ou reduzir o consumo dependendo de suas necessidades, da mesma forma como você é cobrado pelo uso de eletricidade.

Migração para nuvem
A migração para a nuvem oferece maior flexibilidade, permitindo que as equipes de TI suportem processos de negócios em mudança com agilidade. E com a capacidade de dimensionar dinamicamente o armazenamento, computação e outros recursos, a nuvem oferece maior eficiência de custos e quase elimina a necessidade de fazer investimentos de capital em infraestrutura local.

Gerenciamento de nuvem
Gerenciamento de nuvem refere-se às tecnologias e ao software necessários para operar e monitorar dados, aplicativos e outros serviços que residem na nuvem.

Nativo em nuvem
Nativo de nuvem é o nome de uma abordagem para construir e executar aplicativos em nuvens privadas, públicas e híbridas. Quando um aplicativo é "nativo de nuvem", ele é projetado especificamente para ser desenvolvido e gerenciado em um ambiente de nuvem.

Redes em nuvem
Rede em nuvem refere-se a hospedar ou usar recursos e serviços de rede — roteadores virtuais, largura de banda, firewalls virtuais ou software de gerenciamento de rede — em qualquer nuvem pública, privada ou híbrida. A rede em nuvem abrange tanto redes internas que utilizam serviços baseados em nuvem para várias tarefas, e também redes totalmente baseadas em nuvem.

Orquestração em nuvem
Orquestração em nuvem é o processo de automatizar a configuração e gerenciamento de cargas de trabalho em nuvem complexas por meio de uma única interface, que oferece maior desempenho e capacidade de expansão.

Capacidade de expansão em nuvem
A capacidade de expansão da nuvem refere-se à capacidade de uma plataforma em nuvem de aumentar seu tamanho e desempenho com base nos recursos de rede atuais.

Serviço em nuvem
O termo “serviços em nuvem” refere-se a uma grande variedade de serviços fornecidos por demanda pela internet a empresas e clientes. Tais serviços foram projetados para fornecer acesso fácil e econômico a aplicativos e recursos, sem a necessidade de infraestrutura ou hardware interno.

Automação de serviços em nuvem
A automação de serviços em nuvem é o processo de automação da implantação de serviços em nuvem em um ambiente de nuvem híbrida.

Personalização de TI
A consumerização (ou personalização) de TI refere-se à tendência crescente de novas tecnologias da informação voltadas para o consumidor. Esta é uma grande mudança no setor de TI, no qual grandes empresas e organizações governamentais há muito dominam o uso e o desenvolvimento de computadores.

Conteinerização
A conteinerização é uma forma de virtualização do sistema operacional, por meio da qual os aplicativos são executados em espaços de usuário isolados, chamados de contêineres, todos usando o mesmo sistema operacional (SO) compartilhado.

D

Gerenciamento de desktop
Gerenciamento de desktops é a tecnologia, os processos e os procedimentos para gerenciar e dar suporte a laptops, desktops e outros dispositivos de computação do usuário final que potencializam os serviços e recursos de TI da empresa.

Virtualização de desktop
A virtualização de desktop é uma tecnologia que permite aos usuários executar o carregamento de uma estação de trabalho para acessar o desktop de um dispositivo conectado remotamente ou localmente.

Desktop como serviço (DaaS)
O desktop como serviço (DaaS) é uma solução de computação em nuvem que permite que as empresas ofereçam desktops virtuais hospedados em nuvem em qualquer dispositivo, em qualquer lugar.

Transformação digital
Transformação digital é a adoção estratégica de tecnologias digitais, como um espaço de trabalho digital, para melhorar processos e produtividade, gerenciar riscos de negócios e melhorar o atendimento ao cliente.

Bem-estar digital
Bem-estar digital (também conhecido como saúde digital) é a busca de uma relação intencional e saudável com a tecnologia no local de trabalho e na vida pessoal.

Espaço de trabalho digital
Um espaço de trabalho digital é uma estratégia de negócios que reúne as ferramentas, os locais, os estilos de trabalho, a cultura e as habilidades que os funcionários precisam para realizar melhor seu trabalho e atender melhor aos clientes.

Espaço de trabalho digital
O espaço de trabalho digital permite que os funcionários acessem seus aplicativos e dados usando qualquer dispositivo, independentemente da rede ou nuvem.

Recuperação de desastres
A recuperação de desastres é um conjunto de planos e procedimentos pré-estabelecidos que permitem a uma empresa recuperar sua infraestrutura de TI no caso de um evento imprevisto, como falta de energia, pandemia ou emergência climática.

E

Assinatura eletrônica
Uma assinatura eletrônica, ou e-signature, é um método para assinar contratos e outros documentos eletronicamente, sem caneta ou papel. As assinaturas eletrônicas são usadas pelas empresas para economizar tempo e reduzir custos, e têm a mesma validade jurídica e aplicabilidade dos documentos em papel e caneta, quando executados em conformidade com as leis de assinatura eletrônica.

Segurança de borda
A segurança de borda permite segurança avançada e simplifica o gerenciamento de segurança de informações para proteger a rede de filiais contra ameaças da internet, fornecendo um único painel de gerenciamento e relatório para várias funcionalidades de segurança junto com SD-WAN.

Experiência do funcionário
A experiência de funcionário (EX) refere-se à ampla gama de percepções e observações que os trabalhadores desenvolvem à medida que interagem com uma organização.

Engajamento de funcionários
Engajamento é o comprometimento emocional do funcionário e o investimento profissional em seu trabalho, bem como nos resultados dos negócios da organização. 

Segurança de endpoint
A segurança de endpoint refere-se a uma metodologia de proteção de rede que exige que os dispositivos em uma rede corporativa atendam a certos padrões de conformidade antes que o acesso seja concedido.

Armazenamento de aplicativos corporativos
Um armazenamento de aplicativos corporativos é uma loja de aplicativos virtuais para funcionários de empresas. Os usuários podem acessar o armazenamento de aplicativos corporativos de dispositivos móveis ou desktop e selecionar automaticamente o software e os serviços com os quais precisam interagir para realizar o trabalho e colaborar para cumprir os objetivos da empresa.

Sincronização e compartilhamento corporativo de arquivos (Enterprise File Sync and Sharing, EFSS)
O compartilhamento e sincronização de arquivos empresariais (Enterprise file sync and sharing, EFSS) é um serviço de software que permite aos usuários compartilhar e sincronizar arquivos, documentos, fotos e vídeos com funcionários, parceiros e clientes com segurança em vários dispositivos.

Mobilidade corporativa
Mobilidade corporativa refere-se à mudança nas práticas de negócios em que os funcionários trabalham fora do escritório e demandam acesso seguro a dados corporativos. Isso inclui o uso de dispositivos móveis, como smartphones ou tablets, bem como o acesso a serviços em nuvem, para conduzir os negócios.

Gerenciamento da mobilidade corporativa (Enterprise Mobility Management, EMM)
O gerenciamento de mobilidade corporativa (EMM) é um conjunto de tecnologias, processos e políticas para proteger e gerenciar o uso de dispositivos móveis corporativos e de funcionários dentro de uma organização. 

F

Local de trabalho flexível
Um local de trabalho flexível oferece um amplo espectro de estruturas de trabalho que vão além da programação comercial tradicional. Um local de trabalho flexível pode oferecer flexibilidade em horas ou quantidade de horas trabalhadas, dias ou número de dias trabalhados, ou em termos de local de trabalho, como trabalhar em casa ou em um local satélite.

G

Balanceamento de carga de servidor global (Global Server Load Balancing, GSLB)
O balanceamento de carga de servidor global (global server load balancing, GSLB) aplica recursos de balanceador de carga de camada 4-7 e o faz no mundo todo, em server farms distribuídos geograficamente, para permitir a continuidade dos negócios em caso de falha no nível do site.

H

Virtualização de hardware
A virtualização de hardware é um método de execução de várias VMs independentes em um único computador físico, utilizando totalmente os recursos físicos disponíveis em servidores modernos e poderosos, o que reduz o custo total de propriedade para implantações de servidor.

HDX
A HDX Technology oferece uma experiência em alta definição aos usuários de aplicativos e desktops centralizados, em qualquer dispositivo e em qualquer rede.

Alta disponibilidade
Alta disponibilidade é a disponibilidade operacional contínua de recursos em um sistema de computador durante o tempo de inatividade programado ou falha do sistema.

Espaço de trabalho hospedado
Um espaço de trabalho hospedado é uma área de trabalho pronta para os negócios que inclui acesso a aplicativos de linha de negócios, uma área de trabalho de usuário completa, gerenciamento de dispositivo móvel e sincronização e compartilhamento de arquivos.

Nuvem híbrida
Nuvem híbrida é um tipo de ambiente de computação que integra recursos de computação privativos, como um datacenter ou nuvem privada, com nuvens públicas. Aplicativos, dados e serviços são compartilhados entre esses recursos, que são entidades separadas, mas gerenciados juntos como um ambiente unificado.

TI híbrida
TI híbrida é uma abordagem de computação corporativa que executa a infraestrutura de TI interna existente juntamente com serviços de nuvem pública para várias necessidades de dados e cargas de trabalho corporativas. Ao contrário da nuvem híbrida, os recursos internos e da nuvem em um ambiente de TI híbrido não são integrados para funcionar como um só.

Hypervisor
Um hipervisor é um software que cria e executa máquinas virtuais (VMs), que são emulações de software de um ambiente de hardware de computação.

I

Infraestrutura como serviço (IaaS)
Infraestrutura como serviço (IaaS) é um modelo de provisionamento no qual máquinas físicas ou virtuais são terceirizadas por uma organização. Pools de hipervisores, como o hipervisor Xen®, executam as máquinas virtuais. Isso pode ser ampliado ou reduzido de acordo com os requisitos da organização.

TI como serviço (TIaaS)
TI como serviço (TIaaS) é um método de entrega de tecnologia da informação como uma mercadoria. Em um modelo TIaaS, a organização de TI atua como um serviço pago para a empresa e deve competir por seus negócios.

Transformação da TI
A transformação da TI é o processo de alinhar a TI aos objetivos organizacionais mais amplos. É apenas um elemento da transformação digital e se refere às maneiras como a TI pode fornecer soluções de próxima geração.

K

Kubernetes
Como a conteinerização trouxe velocidade e flexibilidade para a TI, o Kubernetes tornou-se a plataforma de orquestração padrão para automatizar a implantação e gerenciar o ciclo de vida do contêiner.

L

Balanceamento de carga
O balanceamento de carga é uma solução de rede central responsável por distribuir o tráfego de entrada entre os servidores que hospedam o mesmo conteúdo de aplicativo. Ao equilibrar as solicitações de aplicativos em vários servidores, um balanceador de carga evita que qualquer servidor de aplicativos se torne um único ponto de falha, melhorando, assim, a disponibilidade e a capacidade de resposta geral do aplicativo.

M

Microsserviços
Microsserviços são partes componentes de um aplicativo projetados para serem executados de forma independente.

Segurança de aplicativos móveis
Segurança de aplicativo móvel, ou segurança de app móvel, é a proteção de aplicativos de dispositivo móvel (apps) contra malware, hackers ou outros ataques maliciosos. A segurança de aplicativos móveis é um componente principal do gerenciamento de aplicativos móveis (MAM), que protege os dispositivos móveis do risco de explorações por meio de seus aplicativos.

Gerenciamento de dispositivo móvel (Mobile Device Management, MDM)
O gerenciamento de dispositivos móveis refere-se a qualquer ferramenta ou software projetado para ajudar os administradores de TI a controlar e proteger dispositivos móveis, como smartphones e tablets, por toda a organização.

Segurança de dispositivos móveis
Segurança de dispositivo móvel refere-se à proteção de dispositivos móveis implantados em toda a empresa. A segurança do dispositivo móvel foi projetada para estender a mesma proteção e controles de política disponíveis no local para dispositivos BYO, como smartphones ou tablets.

Aplicativo da web móvel
Um aplicativo da web móvel é um aplicativo (app) móvel que combina a funcionalidade habilitada para web e toque. Os aplicativos da web móveis são baseados na web, o que melhora a compatibilidade do dispositivo, mas fornece aos usuários a aparência e funcionalidade de um aplicativo nativo.

Espaço de trabalho móvel
A tecnologia de espaço de trabalho móvel aborda as necessidades de uma força de trabalho móvel, fornecendo com segurança aplicativos, desktops, arquivos e serviços perfeitamente a qualquer usuário, em qualquer dispositivo, em qualquer rede.

Multinuvem
Multinuvem é uma estratégia em que uma organização aproveita duas ou mais plataformas de computação em nuvem para executar várias tarefas.

N

Virtualização de funções de rede (NFV)
A virtualização de funções de rede (NFV) refere-se a uma iniciativa que visa reduzir a quantidade de hardware, energia e espaço necessários para implantar funções de rede. O conceito é projetado para virtualizar funções de rede por meio de máquinas virtuais, o que diminuiria a quantidade de hardware anteriormente necessária para funções de rede, como roteadores, firewalls e balanceadores de carga.

Virtualização de rede
Virtualização de rede refere-se a redes que consistem em recursos sendo conectados em um grupo de comunicação coeso. As redes virtuais são usadas para subdividir grupos de recursos físicos como parte de uma rede maior, e podem até ser usadas para permitir que várias máquinas virtuais em execução em um único laptop se comuniquem entre si, independentemente de o próprio laptop estar conectado a uma rede.

O

Colaboração on-line
A colaboração ocorre quando as pessoas se encontram e trabalham juntas na internet em tempo real, eliminando a distância entre sua equipe com conferência com vídeo on-line face a face instantânea e compartilhamento de tela.

Virtualização de código aberto
Virtualização de código aberto refere-se às tecnologias de virtualização disponíveis na forma de software de código aberto. Os exemplos incluem o hipervisor Xen ProjectTM do xenproject.org

P

Conformidade PCI-DSS
A conformidade com o padrão de segurança de dados da indústria de cartões de pagamento (Payment Card Industry Data Security Standard, PCI-DSS) segue um conjunto de políticas e procedimentos criados para aumentar os controles sobre os dados do titular do cartão para reduzir a fraude de cartão de crédito.

Nuvem privativa
Nuvem privada é um modelo de computação que oferece um ambiente proprietário dedicado a uma única entidade de negócios.

Nuvem pública
Nuvem pública é um tipo de computação em que um provedor de serviços disponibiliza recursos ao público por meio da internet.

R

Acesso remoto
O acesso remoto é o ato de se conectar a serviços, aplicativos ou dados de TI de um local diferente da sede ou outro que seja mais próximo do datacenter.

Desktop remoto
Um desktop remoto é um ambiente de computação direcionado ao usuário executado em algum lugar diferente do local físico do usuário.

Força de trabalho remota
Aprenda o que é uma força de trabalho remota e como os trabalhadores remotos em tempo integral podem melhorar o equilíbrio entre vida pessoal e profissional, aumentar a produtividade e melhorar o envolvimento dos funcionários.

s

SASE
O modelo de borda de serviço de acesso seguro (Secure Access Service Edge, SASE) unifica a funcionalidade de rede e segurança moderna em uma arquitetura integrada, por isso é fácil de gerenciar, mas também usa a nuvem para entregar a funcionalidade mais perto do usuário, para que ele se sinta produtivo, engajado e capacitado para fazer seu melhor trabalho, em qualquer lugar.

Gateway de acesso seguro
Um gateway de acesso seguro fornece acesso remoto à rede de uma agência por meio de um link seguro.

Análise de segurança
A análise de segurança é uma abordagem da segurança digital que examina dados para detectar anomalias, comportamentos incomuns de usuários e outras ameaças.

Virtualização de servidor
A virtualização de servidor é o ato de separar os sistemas operacionais de classe de servidor do hardware no qual são tradicionalmente instalados, por meio do uso de uma camada de middleware. Isso permite que o hardware do servidor seja aproveitado como um único pool de capacidade, de modo que toda instância de um sistema operacional de servidor em execução como uma máquina virtual possa ser hospedada em qualquer lugar do pool.

Virtualização de sessão
A virtualização de sessão usa streaming de aplicativo para entregar aplicativos a servidores hostings no datacenter. O usuário conecta-se ao servidor ao qual o aplicativo foi entregue e o aplicativo é executado totalmente no servidor. O usuário interage com o aplicativo remotamente enviando cliques do mouse e pressionamentos de tecla para o servidor, que responde enviando atualizações de tela de volta ao dispositivo do usuário.

Logon único
O logon único (SSO, single sign-on) é um recurso de autenticação que permite aos usuários terem acesso a vários aplicativos com um único nome de usuário e senha de login.

Rede definida por software (Software Defined Networking, SDN)
A rede definida por software (SDN) é uma arquitetura de rede ágil projetada para ajudar as organizações a acompanharem a natureza dinâmica dos aplicativos atuais.

WAN definida por software (SD-WAN)
A rede de longa distância definida por software (Software-defined wide-area network, SD-WAN) é um serviço que concede à empresa a capacidade de conectar dinamicamente filiais e datacenters em escala global.

SSL VPN
Uma rede virtual privada (virtual private network, VPN) é um canal de comunicação privado que interconecta redes por meio de infraestruturas principalmente públicas (por exemplo, a internet). Rede privada virtual de camada de soquete seguro (Secure Sockets Layer Virtual Private Network, SSL VPN) fornece segurança e comunicações criptografadas por meio de protocolos de encapsulamento de camada de soquetes seguros.

T

Trabalho remoto
O teletrabalho é um acordo de trabalho que permite que os funcionários trabalhem em casa ou em outros locais remotos, usando TI e telecomunicações, como telefone, teleconferência pela internet, e-mail ou mensagem instantânea para realizar suas tarefas.

U

Análises de comportamento do usuário
Processo de estabelecimento de uma base para atividades e comportamentos do usuário, combinado com a análise do grupo de pares, para detectar possíveis intrusões e atividades mal intencionadas.

V

Dispositivo virtual
Um dispositivo virtual (virtual appliance, VA) é um arquivo de imagem de máquina virtual (virtual machine, VM) usado para simplificar a entrega de aplicativos. O dispositivo virtual consiste em um ambiente de sistema operacional pré-configurado e um único aplicativo.

Sala de dados virtual
Uma sala de dados virtual é um repositório de dados digital rigidamente controlado para restringir o acesso. As salas de dados virtuais permitem que as empresas compartilhem e troquem grandes quantidades de dados com rapidez e facilidade, sem comprometer a confidencialidade.

Desktop virtual
Os desktops virtuais podem se referir a qualquer ambiente de classe de desktop isolado, dedicado e provisionado para uso por um usuário específico, seja como uma máquina virtual ou como uma sessão em um ambiente cliente-servidor.

Infraestrutura de desktop virtual (VDI)
A infraestrutura de desktop virtual (virtual desktop infrastructure, VDI) refere-se à parte do ambiente de TI dedicada a hospedar sistemas operacionais de desktop em máquinas virtuais (VM). Essas máquinas virtuais podem ser executadas em um servidor ou servidores hospedados, centralizados ou remotos.

Laptop virtual
Um laptop virtual é um laptop que utiliza os benefícios da virtualização de desktop para se tornar um dispositivo virtual gerenciável, confiável e seguro.

Máquina virtual (VM)
Uma máquina virtual é um ambiente de sistema operacional que foi abstraído de sua máquina física de forma que possa aproveitar uma camada de software intermediária para ser executada em qualquer hardware físico. Exemplos de máquinas virtuais incluem desktops virtuais, servidores virtuais e dispositivos virtuais.

Arquitetura de rede virtual
A arquitetura de rede virtual refere-se a uma infraestrutura de rede que pode ser dimensionada para se adaptar a qualquer carga de trabalho. Uma arquitetura de rede virtual integra virtualização de rede e computação em nuvem para criar uma solução de virtualização aberta capaz de conectar datacenters em qualquer local.

Força de trabalho virtual
Uma força de trabalho virtual refere-se a uma força de trabalho não limitada por localização física ou geográfica. Em vez disso, uma força de trabalho virtual usa TI e telecomunicações, como telefone, teleconferência pela internet, e-mail ou mensagem instantânea para realizar tarefas de trabalho em casa ou em outros locais remotos.

Virtualização
Virtualização refere-se ao método de remover todos os aspectos da infraestrutura física de TI dos ambientes específicos que estão encarregados de hospedar (por exemplo, aplicativos, desktops, servidores, armazenamento, redes, etc.), permitindo assim um melhor gerenciamento, controle, flexibilidade, segurança e utilização de toda a infraestrutura de serviço.

W

Borda de WAN
As soluções de borda de WAN aceleram a transformação digital com conectividade e desempenho flexíveis, automatizados e seguros para aplicativos SaaS, em nuvem e virtuais para garantir uma experiência sempre ativa no espaço de trabalho.

Failover de WAN
O failover da WAN ajuda a evitar a interrupção das conexões de rede e do acesso a aplicativos, identificando uma interrupção ou outro evento de failover e redirecionando o tráfego para um caminho ativo da WAN.

Rede WAN
Uma rede de longa distância (wide area network, WAN) conecta um grupo de computadores e outros dispositivos de rede em locais geograficamente dispersos. Uma WAN corporativa normalmente conecta filiais ou funcionários remotos ao datacenter, dando aos usuários acesso a aplicativos, serviços em nuvem e outros recursos corporativos.

Otimização de WAN
Também conhecida como aceleração de WAN, a otimização de WAN é um conjunto de técnicas usadas para aumentar a eficiência da transferência de dados em uma rede de longa distância (WAN). As técnicas usadas para alcançar a otimização de WAN incluem desduplicação, compactação, otimização de latência, cache, correção de erro de encaminhamento, falsificação de protocolo, modelagem de tráfego, equalização, limitação de conexão e limitação de taxa (rate limiting) de nível de serviço.

Revendedor de hospedagem sem marca
Um revendedor de hospedagem sem marca de desktop como serviço (DaaS) oferece DaaS genérico por meio de um ecossistema de revendedores de valor agregado. Revendedores de hospedagem sem marca fornecem aos seus parceiros de canal de negócios uma via rápida para chegar ao mercado e uma forma fácil de expandir os negócios, oferecendo uma plataforma de parceiros comprovada e pré-construída. Os revendedores e provedores de serviço à frente no processo agregam valor ao incluir marca única, serviços agregados e suporte direto ao cliente.

Migração do Windows XP
Migração do Windows XP refere-se ao processo de migração do sistema operacional de um computador com Windows XP para o Windows 7 ou Windows 8. A Microsoft não oferecerá mais suporte para o Windows XP a partir de 8 de abril de 2014. Isso significa que a TI corporativa não receberá mais atualizações de segurança nem outro tipo de suporte necessário da Microsoft após esse período e, portanto, deverá atualizar sua infraestrutura para uma plataforma mais moderna.

Workshifting
Workshifting é um arranjo de trabalho flexível que permite que os funcionários trabalhem em qualquer lugar, a qualquer momento, em qualquer dispositivo.

Workspace
Descubra o que é um espaço de trabalho, seus benefícios e como a Citrix ajuda as pessoas a alcançar seu melhor desempenho no trabalho, mantendo os dados da empresa protegidos.

X

Xen
O hipervisor Xen Project™ é uma camada de software que substitui o sistema operacional tradicionalmente instalado e que é executado diretamente no hardware de um computador, permitindo que ele execute vários sistemas operacionais convidados simultaneamente. O suporte para processadores x86, x86-64, Itanium, Power PC e ARM permite que o hipervisor do Xen Project seja executado em uma ampla variedade de dispositivos de computação, e atualmente suporta Linux, NetBSD, FreeBSD, Solaris, Windows e outros sistemas operacionais comuns como convidados em execução no hipervisor. A comunidade xenproject.org desenvolve e mantém o hipervisor do Projeto Xen como uma solução gratuita licenciada sob a GNU General Public License.

Z

Segurança de confiança zero
Um modelo, ou arquitetura, de confiança zero significa que nenhum usuário ou dispositivo deve ter acesso à rede por padrão, nem ao espaço de trabalho e outros recursos de uma organização — mesmo que sejam empregados pela organização.