As três principais estratégias para criar um local de trabalho digital realmente eficiente

É raro encontrar uma empresa que não tenha sofrido prejuízos materiais decorrentes da disseminação da COVID-19. Todos, funcionários e líderes, tiveram de saber, alguns pela primeira vez, se têm o perfil para "trabalhar em casa" e isso presumindo-se que tenham mantido os seus empregos. No entanto, para as organizações que agora adotam formas de trabalho voltadas para o digital, as recompensas podem superar os desafios.

ARTIGO | leitura de 5 min
18 de junho de 2020

Para obter mais informações, a Citrix conversou com três líderes de negócios para identificar os desafios e as oportunidades de uma força de trabalho distribuída. As respostas deles iluminaram três estratégias evidentes que a organização pode adotar para prosperar neste momento difícil, mas estimulante.

Alinhar a mesma estratégia entre os cargos de liderança

Apesar de seu papel conjunto na formação da experiência do funcionário, TI e RH raramente chegam a um consenso. A receita da ineficiência está na falta de entendimento mútuo, nos melhores momentos; mas, agora, com as equipes fisicamente separadas, é um grande risco. Se não houver tutela presente, cria-se um vácuo que pode resultar na ausência de executivos responsáveis pela experiência dos funcionários no trabalho digital. Os setores de TI e RH devem considerar a criação de um local de trabalho com prioridade para o digital como um projeto comum dos dois setores que desempenham funções críticas. Na verdade, uma abordagem colaborativa entre o RH e a TI também pode estimular a colaboração entre os líderes de linha de negócios.

Lindsay McGregor, cofundadora e CEO da Vega Factor, consultoria sobre trabalho remoto, acredita que as pressões econômicas e emocionais combinadas podem levar os funcionários a um tipo de inércia induzida pela ansiedade. Ela sugere uma estratégia de liderança unificada para que a TI e o RH trabalhem juntos e encontrem maneiras de os funcionários receberem impactos constantes. "A intenção de reduzir a pressão não vai aumentar a motivação e não fará diferença para essas forças externas", disse ela. "Assim, é mais importante do que nunca duplicar os incentivos diretos: ação, propósito e potencial."

Na pesquisa conduzida em nome da Citrix pela The Economist Intelligence Unit, a liderança e a gerência superaram em muito outros fatores, incluindo a remuneração, no que se refere à importância para a experiência do funcionário. Antes que os funcionários possam prosperar no espaço de trabalho digital, é essencial confirmar se a liderança está alinhada ao projeto comum de construir um local de trabalho com prioridade para o digital. "Se equilibrarmos o desempenho tático e adaptativo", disse McGregor, "é possível se obter resultados máximos".

Dar prioridade ao bem-estar digital

No local de trabalho convencional, o bem-estar digital diz respeito a uma relação saudável e positiva com a tecnologia que usamos para trabalhar. Mas em um momento como este, garantir o bem-estar digital de sua força de trabalho pode ser muito mais difícil de alcançar. Fazer isso da maneira certa é, sem dúvida, a necessidade de negócios mais urgente da atualidade, porque funcionários e empregadores talvez não voltem ao antigo esquema. Na pesquisa realizada pelo Censuswide em nome da Citrix, mais de três quartos dos mais de 3.700 líderes de TI em sete países pesquisados acreditam que a maioria dos trabalhadores relutará em voltar ao escritório nos moldes anteriores.

Meghan Biro é o fundador e CEO da TalentCulture, consultoria de comunicação de marketing dedicada a repensar o ambiente de trabalho moderno. Ela sugere que a empresa deve fornecer a todos os funcionários, independentemente do local, as mesmas ferramentas de qualidade — para que todos tenham uma experiência de usuário uniforme. "Penso que veremos organizações se transferindo a ambientes de trabalho remotos para garantir que isso aconteça", diz ela.

"É como a analogia do banquinho de três pernas: se uma quebra, todo o seu equilíbrio vai por água abaixo", acrescentou. Com 41% das organizações de alto desempenho pesquisadas gerenciando o impacto da tecnologia na experiência do funcionário como meta explícita, os dados sugerem que quanto melhor sua tecnologia for implementada, mais felizes e mais produtivos serão os seus funcionários.

A INTENÇÃO DE REDUZIR A PRESSÃO NÃO VAI AUMENTAR A MOTIVAÇÃO E NÃO FARÁ DIFERENÇA PARA ESSAS FORÇAS EXTERNAS. ASSIM, É MAIS IMPORTANTE DO QUE NUNCA DUPLICAR OS MOTIVOS DIRETOS: AÇÃO, PROPÓSITO E POTENCIAL.

Lindsay McGregor
CEO e cofundadora da
Vega Factor
 

Adotar as ferramentas e a tecnologia certas para o sucesso

Uma convergência de tendências globais de tecnologia e negócios — seja 5G, IdC para indústrias, incorporação de tecnologia inteligente ou análise em tempo real, para citar apenas alguns — já tinha esse rumo definido, muito antes das recentes interrupções globais. Nem mesmo os evangelistas de tecnologia mais otimistas poderiam ter previsto quão rápido ou imediato surgiria a necessidade de melhores práticas de trabalho remoto.

Dion Hinchcliffe, vice-presidente e analista principal da Constellation Research, cria estratégias de liderança para a transformação digital. Pela sua perspectiva, 2020 já abriu nossos olhos para os pontos fortes e fracos das reais capacidades da nossa força de trabalho digital . Segundo ele, "as plataformas de próxima geração da experiência do funcionário deverão ser muito mais integradas, diretas, orientadas a contexto e personalizadas". E acrescenta que "uma nova geração de aplicativos projetados para lidar com as possíveis desvantagens do trabalho remoto continuará a surgir e ser adotada".

A pesquisa da Economist Intelligence Unit revelou que mais de um terço dos executivos entrevistados concordaram muito que os aplicativos e dispositivos que sua organização fornece contribuem de modo positivo para a experiência de trabalho de seus funcionários. No entanto, a inovação digital não é assim tão fácil de conseguir. Para alcançar o sucesso, sua organização deve desenvolver soluções tendo o usuário em mente.

AS PLATAFORMAS DE PRÓXIMA GERAÇÃO DA EXPERIÊNCIA DO FUNCIONÁRIO DEVERÃO SER MUITO MAIS INTEGRADAS, SIMPLES, ORIENTADAS A CONTEXTO E PERSONALIADAS.

Dion Hinchcliffe
Vice-presidente e analista principal da
Constellation Research

31%

dos entrevistados do setor de RH concordam fortemente que gerenciar o impacto da tecnologia na experiência do funcionário é uma meta explícita da sua estratégia de RH.

44%

dos entrevistados concordam fortemente que a tecnologia do local do trabalho mal escolhida ou implementada pode ter um impacto negativo na experiência do funcionário.

Permitir que a tecnologia formate a experiência de trabalho

Quando se trata de criar uma experiência de trabalho remota verdadeiramente notável, a liderança ainda está em uma base reativa. Todavia, para as organizações digitalmente maduras, o caminho para o sucesso já está definido. Ao alinhar a liderança, dar prioridade ao bem-estar digital e garantir que a tecnologia do local de trabalho seja bem integrada e não invasiva, as organizações estarão equipadas para realizar o trabalho remoto.

A pandemia pode ter tirado os funcionários de seus escritórios e a liderança de suas zonas de conforto, mas isso não significa que suas equipes não farão o melhor trabalho de suas vidas nessas condições. Um espaço de trabalho digital pode criar um ambiente melhor para seus funcionários e, com ele, uma perspectiva melhor para sua organização.

BOLETIM INFORMATIVO

Obtenha a última pesquisa, insights e histórias do Fieldwork da Citrix.