“Fazer um mestrado e aprender inglês.” com certeza, as pessoas que agora têm entre 25 e 50 anos cresceram ouvindo essa frase como um mantra para garantir o sucesso no mercado de trabalho. De algum modo, esta frase simples orientou a educação de várias gerações e mudou o esquema de ensino nas escolas e nas universidades. Mas observando como a dinâmica do trabalho aliado a tecnologia – cada vez mais imersa em nossas vidas – está mudando diversos paradigmas, começo a imaginar como será o mundo dentro de 10 ou 20 anos, e penso que saber inglês e fazer mestrado não será mais o suficiente.

citrix15_at24957_edu_720x480_72_rgb

Dentro de 10 ou 20 anos vamos viver em um mundo ainda mais digital. A tecnologia resolverá diversos aspectos do nosso cotidiano e facilitará nossa rotina diária; no universo corporativo, será imprescindível ser totalmente digital para poder ser mais eficiente, melhorar a cadeia de processos das empresas (desde a produção até as compras e as vendas) e proporcionar um excelente atendimento aos clientes. Não haverá nenhuma dúvida que a tecnologia é um facilitador para os negócios e que sua implementação permite atingir outros níveis de competitividade.

A tecnologia não será mais vista como uma opção, será absolutamente vital para sobreviver no mundo dos negócios. Além disso, os Millenials ocuparão os cargos mais altos nas empresas, consolidando estes novos paradigmas de trabalho que já estão se formando hoje. E as crianças que hoje estão na escola terão que estar prontas para entrar em um mercado de trabalho totalmente digitalizado.

E é precisamente neste último ponto que gostaria de deter-me. Precisamos definir claramente agora o que nossas crianças e adolescentes necessitam para ser bem-sucedidos no mundo de amanhã. E estou convencido de que a nova habilidade que lhes permitirá fazer a diferença neste futuro próximo e que deve ser incorporada nos programas de ensino que o país está discutindo é: a programação ou coding.

Aprender a programar lhes ensinará a desenvolver uma melhor compreensão e a colocar em prática habilidades lógicas. Isto permitirá que aprendam desde pequenos como funciona o mundo tecnológico que os rodeia e, sem dúvida, vai prepará-los melhor para o mercado de trabalho. Entre outras coisas, eles crescerão compreendendo, usando e desenvolvendo sites, aplicativos e outras ferramentas que utilizarão em sua vida diária, tanto pessoal como profissional.

De fato, a programação se tornará algo transversal – para não dizer natural – a todas as profissões, isto pois gradualmente todas elas serão alcançadas pela tecnologia para melhorar os seus processos, como, por exemplo, já observamos nos setores saúde, educação e finanças. Compreender o mundo digital e, ao mesmo tempo, tem a capacidade de criá-lo e enriquecê-lo será uma importante vantagem competitiva. As crianças que aprendem a programar desenvolverão um tipo de pensamento lógico que as ajudará na tomada de decisões.

O mundo digital definitivamente precisará de mais profissionais com conhecimentos de programação; pois hoje já a necessidade de contar com bons profissionais de TI já se faz presente e isso só tende a aumentar de forma exponencial nos próximos anos.

Portanto, o mundo da educação precisa evoluir ainda mais para acompanhar as mudanças que estamos vivendo hoje e aquelas que surgirão ao longo do tempo. Cabe a nós, seja como adultos ou profissionais, a responsabilidade de olhar para a frente, imaginar o que virá e garantir que as novas gerações contem com todas as ferramentas e desenvolvam todo o potencial que lhes permitam ser bem-sucedidas no futuro. O mundo digital impõe o desafio de que nos reinventemos, e penso que devemos sempre ir além!

BANNER YES PORTUGUESE