À medida que a mobilidade, formal ou informal, aumenta, as pessoas começam a acessar a informação corporativa de diferentes tipos dispositivos, alguns próprios e outros blindados pela empresa. Por exemplo, no Brasil, no México e na Colômbia, os funcionários utilizam principalmente computadores (BR 81%, MX 93%, COL 96%), laptops (BR 97%, MX 90%, COL 92%) e smartphones (BR 71%, MX 49%, COL 66%). A maioria desses dispositivos pertence à empresa, mas também existem algumas pessoas que utilizam dispositivos pessoais (BR 7%, MX 17%, COL 11%).

Nesse contexto, contar com uma estratégia de mobilidade empresarial que defina políticas e tecnologias que suportem o negócio seria fundamental. Entretanto, um grande número de empresas não conta com uma política formal de mobilidade:

Ao perguntar às empresas porque decidiram não adotar uma política de mobilidade clara e formal, as principais respostas foram:

Brasil

  1. Existem outras prioridades para a empresa (34%)
  2. Não é necessário para a empresa (28%)
  3. Os sistemas atuais não estão aptos para a mobilidade (13%)

México

  1. Não é necessário para a empresa (25%)
  2. Existem outras prioridades para a empresa (23%)
  3. É caro (18%)

Colômbia

  1. Não é necessário para a empresa (36%)
  2. Existem outras prioridades para a empresa (36%)
  3. Os funcionários não possuem conhecimento para uso dessa tecnologia (9%)

Enquanto esses motivos afastam as empresas de implementar a mobilidade de maneira correta, a informação corporativa já não está segura de todas as formas em um ambiente controlado dentro da empresa. Informações confidenciais circulam pelas mãos dos funcionários, em seus bolsos e bolsas, independentemente da empresa estar preparada para isso ou não. Desse modo, definir uma política de mobilidade não é mais um assunto de pouca importância e deve ser trabalhado em conjunto pelos departamentos de recursos humanos, jurídico e de TI. Somente com uma política formal e com a implementação de tecnologias adequadas as empresas poderão usufruir de todos os benefícios que a mobilidade empresarial promete.