No ano passado, analisamos no blog distintos aspectos da mobilidade corporativa e seu impacto nas empresas.

Agora queremos mostrar dados concretos de três países da América Latina: Brasil, México e Colômbia. Para isso, realizamos um estudo convocando responsáveis da área de TI de mais de 360 empresas.

Todos os dados que o estudo coletou são interessantes e definem o estado atual da mobilidade e quais passos devem ser tomados pelas empresas em cada país. No entanto, há três pontos que nos pareceram chave e que iremos detalhar nos próximos posts. A seguir compartilhamos um resumo desses tópicos.

Não existe uma definição clara sobre o significado de mobilidade:

Ao conversar com os entrevistados, o primeiro ponto que nos chamou atenção foi que todos davam uma definição diferente do que é mobilidade empresarial e o que isso implica. Para ajudar a identificar a situação real das suas empresas em relação à mobilidade empresarial estabelecemos uma definição e perguntamos aos entrevistados, com base nesse conceito, se eles acreditavam ou não que suas empresas permitiam a mobilidade. A resposta foi a seguinte:

graph_port

Nota-se que a mobilidade empresarial está avançando, mas também é visível que muitas empresas não a implementaram ou a fazem de forma incorreta.

A mobilidade empresarial é importante nas empresas… mas não o suficiente para que exista uma política formal:

É interessante observar que são muitas as empresas que tentaram implementar a mobilidade empresarial sem estabelecer uma política formal de uso. No Brasil, 38% das empresas não contam com uma política que regule a mobilidade; No México, 43% dos entrevistados se encontram na mesma situação; e o mesmo para 35% na Colômbia.

A segurança da informação não é realmente uma prioridade:

Nas minhas conversas com CIOs sempre falamos sobre a importância da segurança da informação corporativa, especialmente no contexto no qual, cada vez usamos mais dispositivos e aplicativos. Entretanto, nosso estudo de mobilidade revelou que no Brasil, México e Colômbia, respectivamente, 62%, 77% e 68% das empresas não possuem uma política de segurança móvel.

Sem dúvida esses dados são impactantes. Nas próximas semanas analisaremos cada um desses pontos com mais detalhe. Convido a todos a estarem atentos aos próximos posts do nosso blog para conhecer e analisar os resultados deste estudo. Espero vocês!