Estamos sempre envolvidos em processos de mudanças e algumas que começaram esse ano devem se aprofundar na América Latina em 2015.  Muitas companhias serão obrigadas a escolher entre um modelo de TI tradicional ou um modelo mais completo, flexível, orientado para os negócios e que aceite e impulsione novas tendências tecnológicas, focado principalmente nessas novas gerações de funcionários. Assim, em 2015, devemos observar:

  • A humanização da tecnologia: o trabalho para aumentar a interação entre pessoas e computadores deve continuar e um aspecto central será o design focado no usuário.  Isso requer inovação baseada em um conhecimento mais profundo das necessidades do usuário, não somente no desenvolvimento de novas capacidades e características.
  • O escritório virtual chega mais perto: o desafio para as companhias será de ir além dos modelos de computação obsoletos que estão focados exclusivamente no data center, criando ambientes informatizados que atendem às necessidades de uma força de trabalho móvel.  Os usuários não estão presos em apenas um lugar e seus dados também deve ser móveis; o escritório virtual deve estar disponível em qualquer lugar, criando novos espaços de trabalho, aumentando a eficiência e a produtividade.
  • Um desafio para as organizações – “existe um aplicativo para resolver isso”: no mundo do consumidor, os aplicativos são o centro das atenções e de maneira formal ou informal, essa tendência está chegando às empresas.  Nesse cenário, as organizações devem selecionar e integrar soluções de segurança projetadas para protegerem seus dados e a privacidade do usuário, desenvolver lojas de aplicativos corporativos e optar por aplicativos que incluem políticas de controle de acesso para combater ameaças em potencial e brechas de segurança. O departamento de TI deve desempenhar um papel proativo para evitar o vazamento de informações.
  • A segurança das informações ainda é prioridade: dentro do atual contexto tecnológico, é fundamental proteger as informações corporativas usando tecnologias que oferecem acesso seguro aos dados da companhia. A virtualização permite desenvolver uma infraestrutura segura na qual os dados serão armazenados dentro do data center em vez dos dispositivos usados pelos funcionários.  Ao mesmo tempo, a administração de dispositivos móveis usando a MDM permite manter controle das informações acessadas através de dispositivos próprios e corporativos.
  • O CIO na berlinda: o CIO deve ter um papel mais proativo, focado em análises para descobrir como os funcionários usam a tecnologia e quais são as melhores alternativas para oferecer acesso às informações corporativas sem colocar os dados da empresa em risco.  O CIO deve propor soluções – baseadas em TI – que terão um impacto sobre os objetivos da companhia.

A mobilidade empresarial chegou oferecendo várias opções, desde permitir a mobilidade ou não, até novas opções de segurança e um novo papel para o departamento de TI. Alguns clientes já deram os primeiros passos nesse novo caminho, realizando uma verdadeira revolução em seus negócios.  A tecnologia será o diferencial entre as empresas que estarão ou não estarão prontas para um ambiente cada vez mais concorrido, reunindo os vários departamentos das organizações em busca de metas mais integrais e criando empresas mais atraentes para a geração Y.